Topo

Histórico

Categorias

Casal moderno? Na década de 80, Paula Toller já reclamava dos “garotos”

Luiza Sahd

02/07/2019 04h00

O meme do casal moderno já nasceu como clássico instantâneo nas redes sociais — e ninguém cansou até agora. Deve ser porque o casal moderno está brigando pelas mesmas tretas desde o início dos anos 1980. Senão, vejamos.

Esta é a música "Garotos", escrita por Paula Toller em parceria com seu então namorado, o cantor Leoni. Ambos eram da banda Kid Abelha e fizeram essa belezinha juntos.

"Garotos perdem tempo pensando em brinquedos e proteção/ Romance de estação/ Desejo sem paixão/ Qualquer truque contra a emoção" 

Veja também

A discussão sobre masculinidade tóxica pode parecer muito moderna, descolada e atual. Quando li esta ótima reportagem do colega Giacomo Vicenzo, por exemplo, fiquei contente porque as pessoas estão começando a reconhecer mais esse assunto. Imagine então qual foi minha surpresa quando me dei conta de que, há mais de 30 anos, Paula Toller já estava reclamando da mesma porcaria.

Nos versos de "Garotos", ela reclama basicamente da forma como os homens são criados para não reconhecer (e muito menos assumir!) seus momentos de vulnerabilidade. Pior pra eles, né? Porque como diz a letra, "São sempre os mesmos sonhos/ De quantidade e tamanho". Entra década, sai década, os caras continuam sonhando com as mesmas coisas, tipo ter uma coleção de carrões e outra de mulheres.

Bom, mas daí o Leoni, que compôs a crítica aos garotos junto com a Paula, resolveu lançar uma música chamada "Garotos II", em resposta à sua própria composição "Garotos", gravada pelo Kid Abelha. Em "Garotos II", que é uma música muito boa de ouvir (e me arrepiava nos anos 1990), o que o eu-lírico de Leoni faz é, em linhas gerais, fingir demência.

Prestigie:

O uso da palavra "tentação" junto com "mulher" é uma cilada pra gente desde o Velho Testamento. Diz que a Eva deu a ideia erradíssima de comer o fruto proibido enquanto o Adão… bom, provavelmente Adão também era só um garoto. Tipo o Neymar na propaganda de lâmina de barbear ou o Leoni dizendo "Garotos não resistem aos seus mistérios/ Garotos nunca dizem não/ Garotos como eu sempre tão esperto/ Perto de uma mulher/ São só garotos". 

Tá bom de infantilização de marmanjo ou você quer mais? Porque se quiser mais, ainda tem: "Me agarram pelas pernas/ Certas mulheres como você/ Me levam sempre onde querem". Rapaz, quem escuta isso fica achando que a mulher pôs droga na bebida do "garoto" e o levou pra casa à força.

Piadas à parte, a dinâmica em que o homem se faz de criança e a mulher fica com a bucha de ser a pessoa lúcida — ou maliciosa — da relação não é nova. Não era nova nos anos 1980 e continua sem um desfecho satisfatório para os casais heteronormativos até hoje.

Estou certa de que vários garotos dirão que Leoni assumiu os erros quando escreveu "Garotos I". A gente também vai precisar admitir, vendo a letra de "Garotos II", que o danado assumiu os erros mas não mudou de atitude durante aqueles anos, né?

Talvez Paula e Leoni tenham sido o primeiro casal moderno icônico do Brasil. Na opinião de muita gente, o casal moderno é composto por uma mina pedindo maturidade e um cara se fazendo de doido. 

Nada mudou, mas deve ser porque nós, as mulheres, estamos dando muito mole pra essa garotada.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Luiza Sahd é jornalista e escritora. Colaborou nas revistas Tpm, Superinteressante, Marie Claire e Playboy falando sobre comportamento, ciência, viagem, amor e sexo. Vive entre São Paulo e Madrid há anos, sem muita certeza sobre onde mora. Em linhas gerais, mora na internet desde 2008.

Sobre o blog

Um lugar na internet para falar das coisas difíceis da vida -- política, afeto, gênero, sociedade e humor -- da maneira mais fácil possível. Acredita de verdade que se expressar de modo simples é muito sofisticado.

Blog da Luiza Sahd