PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Manual do ghosting: como sair da vida de alguém sem causar (muito) estrago

Luiza Sahd

12/12/2017 08h00

Nem só de passar o rodo vive o solteiro médio. Às vezes tem que usar essa pá também

Em tudo nessa vida, até para ser um desalmado(a), podemos ser elegantes. A célebre estilista Coco Chanel aconselhava: "antes de sair de casa, olhe-se no espelho e tire um acessório". Adaptando essa filosofia ao clima de festa e azaração, poderíamos sugerir: "antes de sair da vida de uma pessoa, olhe o celular e tire as notificações do ex-peguete".

De acordo com o Google, "ghosting" é um termo usado para designar o término repentino de um relacionamento sem deixar explicações. Este termo vem do inglês "ghost", que significa fantasma em português. O praticante de ghosting some misteriosamente como se fosse um fantasma.

Dito isso, se você é solteiro há muito tempo e não praticou ou tomou ghosting, deixe o seu contato aqui nos comentários para que eu entre em contato pessoalmente com o Globo Repórter. Eles PRECISAM dedicar um programa a esse milagre. Caso contrário, talvez esteja na hora de aprender um pouco mais sobre como terminar paqueras & pegações sem deixar um rastro de mágoa e fúria na sua saída.

Vamos à teoria?

Introduzindo o pé na bunda
O sumiço repentino existe por uma série de fatores alheios ao nosso controle: não rolou conexão, era um mau momento para um (ou ambos) de vocês, um ex reapareceu no cenário, não importa. Quem gostaria de continuar o lance vai sempre se sentir meio lixo quando o outro desanima. Se foi você quem desistiu, não deixe de avisar que desistiu.
Motivo: exceto os palhaços de profissão, ninguém é palhaço.

Driblando as DRs
Você pode ter desistido da pessoa pelo motivo mais tétrico do mundo (ela estava fedendo quando vocês se encontraram pela última vez) e não faz falta falar "Gérson, você estava fedendo". De todas as formas, para a pessoa que tá pagando um pauzão para você, é importante ficar sabendo que não existe a menor possibilidade de vocês se pegarem de novo num futuro próximo.
Motivo: se você não deixar as coisas claras, pode acabar recebendo "oi sumido" ou mensagens para discutir a relação até 2019, mais ou menos.

Armazenando contatinhos
Você definitivamente não está a fim de se comprometer mas quer manter a pessoa mais ou menos na amizade pro caso de resolver ficar com ela qualquer dia desses? Discuta essa opção com ela ao invés de ficar fazendo chove-não-molha com o coitado(a).
Motivo: se você acredita que querer contatinho não é errado, não faz mal deixar isso claro, certo?

Redes sociais & desgraçamento mental
Você assistindo os Instagram Stories da pessoa com quem não quer nada: "Ahaha, como o Gérson é engraçado! [passa pro próximo Stories]"// Gerson vendo que você assistiu os Stories dele: "EU SABIA! A GENTE AINDA VAI SE CASAR!"

Você curtindo qualquer coisa da pessoa com quem não quer nada: "Pô, interessante esse assunto! [*like*]"// Gerson recebendo a notificação da sua curtida: [escolhendo smoking para a cerimônia].

Em outras palavras, é melhor deixar a pessoa que está quieta… quieta.
Motivo: o amor faz o ser humano ficar completamente cego, burro e incapaz de entender que amizade é diferente de querer ficar com ele. Daí, o apaixonado passa dias reinterpretando um mísero like 77 vezes.

Aqui vai um tutorial para você não visualizar mais Stories do seu Gérson (ou de quem quer que seja chato no Instagram).

É como dizem os fashionistas: na hora de evaporar da pegação, menos é mais!

Sobre a autora

Luiza Sahd é jornalista e escritora. Colaborou nas revistas Tpm, Superinteressante, Marie Claire e Playboy falando sobre comportamento, ciência, viagem, amor e sexo. Vive entre São Paulo e Madrid há anos, sem muita certeza sobre onde mora. Em linhas gerais, mora na internet desde 2008.

Sobre o blog

Um lugar na internet para falar das coisas difíceis da vida -- política, afeto, gênero, sociedade e humor -- da maneira mais fácil possível. Acredita de verdade que se expressar de modo simples é muito sofisticado.