PUBLICIDADE

Topo

Dua Lipa está no Brasil. Vamos aproveitar para discutir as regras dela?

Luiza Sahd

09/11/2017 08h00

Se ainda não aconteceu contigo, é bem possível que aconteça em algum momento dessa semana. Você vai ouvir alguém falar "não, porque as regras da Dua Lipa não-sei-que-não-sei-o- que-lá".

A primeira suspeita, quando ouvi isso, era que "regras da Dua Lipa" eram alguma coisa tipo normas ABNT, negócio de trabalho de conclusão de curso, porque só jovens estavam falando disso aí. Em algum momento do bombardeio de Dua Lipa na internet, reconheci meu papel de tiazona e fui no Google procurar que diacho era Dua Lipa. Descobri que era a diva pop do momento e, inevitavelmente, passei semanas rebolando com esse som aqui:

 

Olha esse videoclipe, um hino à sororidade. Um monte de amiga ajudando a outra a parar de arrastar os chifres no chão por um cara complicado! Essa fórmula não tem como dar erro… Mas conforme eu ia me afeiçoando à música, à coreografia e às tais regras, notei que alguma coisa começava a incomodar.

Já sei: talvez essas regras sejam perfeitas para que ninguém pegue ninguém por décadas até que a raça humana seja extinta por motivos de orgulho.

Sabendo que Dua Lipa chegou no Brasil ontem, gostaria de aproveitar a ocasião para agradecê-la por embalar vários momentos de faxina aqui em casa e, por outro lado, discordar de umas paradas. Por favor, peço que repassem este texto até chegar à Dua Lipa. Ela saberá o que fazer.

A tradução completa está aqui, mas vamos focar nas regras? Vem comigo:

 

PROBLEMATIZANDO A REGRA UM

Não me diga que você nunca ligou para alguém porque estava bêbada e sozinha. Aliás, é nessa hora de desgraçamento mental que a gente costuma ligar para quem a gente gosta mesmo. Só dizendo…

 

PROBLEMATIZANDO A REGRA DOIS

Você quer que o rapaz entre; o rapaz quer entrar; mas daí você chega à conclusão de que o melhor é expulsar o cara. Não tô entendendo mais nada. Não seria melhor falar para ele entrar e, daí, perguntar qual é a dele? Cadê autocontrole? Cadê diálogo? Por onde anda a sinceridade nesse mundo, meu Deus?

 

PROBLEMATIZANDO A REGRA TRÊS

Ser amiga de rolo é eufemismo pra continuar o rolo, a gente sabe. Agora, dizer que se você ficar com ele de novo você nunca vai superá-lo? Dua Lipa, REAGE, MULHER!

 

Se a gente reparar bem, o mainstream sempre tem razão. Quando algo faz muito sucesso, é porque tem alguma coisa ali que traduz o espírito do tempo em que vivemos. No caso das regras da Dua Lipa, é chocante como elas compilaram a forma como geral anda se relacionando.

As pessoas se querem → Não entram num acordo sobre como lidar com isso → Ficam os dois tontos sofrendo em alguma medida, mas cada um na sua → O importante é ninguém perceber que você se afetou com a história → Isso acaba no maior zero a zero → O raciocínio unânime fica sendo o de que ninguém presta → Repete o mesmo esquema no próximo rolo

Essas regras aqui, ó, são bem melhores.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Luiza Sahd é jornalista e escritora. Colaborou nas revistas Tpm, Superinteressante, Marie Claire e Playboy falando sobre comportamento, ciência, viagem, amor e sexo. Vive entre São Paulo e Madrid há anos, sem muita certeza sobre onde mora. Em linhas gerais, mora na internet desde 2008.

Sobre o blog

Um lugar na internet para falar das coisas difíceis da vida -- política, afeto, gênero, sociedade e humor -- da maneira mais fácil possível. Acredita de verdade que se expressar de modo simples é muito sofisticado.